2016

Revista Olho Vivo Cult - Janeiro/2016 - Capa

A arte de se reinventar
Rodrigo Hallvys comemora sucesso do Festival de Esquetes Estudantis de Vargens;
seis textos foram encenados na terceira edição do evento


Foto: Divulgação/ Jana Machado


Ator/diretor comemora sucesso do Festival de Esquetes Estudantis de Vargens;
seis textos foram encenados na terceira edição do evento, realizada
no Pontal Country Club, na Zona Oeste do Rio de Janeiro

Cláudio Alcântara


Rodrigo Hallvys não é a Madonna, mas gosta de se reinventar.
Exemplo disso é o III Festival de Esquetes Estudantis de Vargens. O evento, produzido junto com o Centro Educacional Nossa Senhora de Fátima, em Vargem Grande, tem estilo parecido com o que ele realizava no Estudarte, em Volta Redonda. Porém, adapta-se com mais facilidade a qualquer espaço cêncio. A sede deste ano foi o Pontal country Club, espaço de lazer da Zona Oeste do Rio de Janeiro, que abriu os portões em 15 de dezembro, às 19h30min.

Seis esquetes em um único dia de evento (em 2014 foram dois dias de um fim de semana) e alguns textos são releituras de esquetes também já produzidos pelo Estudarte.

Entre a correria e ajustes finais, Hallvys, nascido em Volta Redonda e envolvido com arte desde a infância, lembrou de quando residia na Cidade do Aço, onde promoveu dez festivais. Dentre eles, sete com o Grupo Estudarte, que se encerraram em 2010. Três anos depois, retornou com projetos semelhantes no Rio de Janeiro, onde já vive há alguns anos.

-Não há como esquecer, apagar ou distanciar de determinadas coisas. O Estudarte faz parte até icônica do meu trabalho e tenho um carinho gigantesco por isso. Selecionamos alguns textos emformatos rápidos que marcaram e vamos fazendo rodízio dentre eles a cada ano - explica.

Segundo Hallvys, a diferença está nas próprias releituras, baseadas em expericências que vão alterando a forma de encenar.

-Eles aprendem. Eu aprendo. Eles criam possibilidades dentro da oficina. Eu encaixo, altero, proponho, analiso e reanaliso. Vamos testando e aproveitando o que eles criam dentro das próprias personagens - detalha o artista, que profissionalizou-se ator e diretor ainda jovem.


O texto inédito ficou por conta da comédia "Altos e baixos", que encena uma sessão de Terapia Maiêutica, trazendo discurso sobre pensamentos prontos e a experiência individual expressada por cada ser humano.

"Papo de muié" foi criada já no Rio de Janeiro e participou pela terceira vez consecutiva do evento, demonstrando o desespero que parte do público feminino vem apresentando midiaticamente por relacionamento amoroso. "Hum, sei!" também é criação de Hallvys já residindo no Rio, em um texto com nuances típicas de Teatro do Absurdo.


-Tive oportunidade de experimentar Teatro do Absurdo em textos escritos pela Lelê Garnier, dirigido pelo Lúcio Roriz e pela Luciene Martes, em 2007. Foi uma das experiências mais divertidas que tive.

"Barulho" foi destaque do último festival do Estudarte, em Volta Redonda. Relido em 2013, no Festival das Artes promovido pelo Via Alternativa e participando também do I Festival produzido por Hallvys no Rio e, pela primeira vez, teve mulheres interpretando as personagens que sempre foram apresentadas por homens, enquanto o texto de "As meninas da rua do medo" foi encenado pela quarta vez, desde sua criação, em 2009, também com o Estudarte.

Para encerrar, foi escolhida a comédia "Em boca fechada...", texto escrito em 2004 por Rodrigo Hallvys em parceria com sua antiga atriz Lidiane Silveira, levando à cena situações de fofocas entre vizinhos com uma ideia mais elaborada e inserindo o cenário de forma mais lúdica para o público.

Fique de olho


Acompanhe as novidades sobre Rodrigo Hallvys, graduado em teatro e pós-graduado em arte e produção cultural no Brasil, proprietário da RH Soluções Artísticas - Rio de Janeiro, na página do ator/diretor no Facebook.


Website Olho Vivo - 17/08/2016 - Teatro

Nova etapa
Rodrigo Hallvys retorna com o Grupo de Teatro Estudarte

Foto: Divulgação/ Jana Machado


Artista começa a elaborar a oitava edição do festival em comemoração ao seu aniversário de carreira;
também fará participação especial em espetáculo de Fernanda Monzani


Cláudio Alcântara

Foram cinco anos afastado de produções teatrais na região. Uma gama de alterações na carreira e novas etapas surgindo. Assim vem sendo a vida de Rodrigo Hallvys após voltar a morar no Rio de Janeiro. O que veio em surpresa foi o silencioso retorno dele com o Grupo de Teatro Estudarte em maio deste ano, o que explica o fato de novamente ser visto com constância por alguns locais de Volta Redonda.

Trabalhando com portas fechadas e com as atenções centradas nos novos ritmos que estão encontrando em meio à nova fase, Hallvys começa a elaborar a oitava edição do festival que o Estudarte tem em sua trajetória.

- Nenhum de nós esperava um reencontro que fizéssemos decidir pelo retorno. Encerramos com chave-de-ouro em dezembro de 2010. Eu precisava buscar novas referências para a vida acadêmica e para minha própria produção. As coisas foram acontecendo e agora estou me desdobrando novamente - explica Hallvys, que também está preparando o IV Festival de Esquetes Estudantis de Vargens, no Rio de Janeiro.

- Aqueles que eram meus alunos adolescentes já são adultos. Possuem outra maturidade pessoal e isso influencia nos objetivos profissionais. Então defini a quantidade de envolvidos na oficina e quais eu convocaria. Com muitos perdi contato; outros, infelizmente, não puderam estar conosco. Mas montamos um elenco que está deixando o trabalho em desenvolvimento interessante.

O evento, como de praxe será no mês de dezembro. Porém, a princípio será também de forma mais fechada. O Estudarte fará seu festival apenas a convidados, comemorando aniversário de carreira de Rodrigo Hallvys.

- Serão três dos textos que tiveram bom resultado todas as vezes que estiveram em cena. Todavia, as releituras sairão com um aspecto diferente porque as construções de cada um também assim o estão. São 18 anos desde quando comecei a esboçar direção de elenco. Aprendi muito errando e isso foi maravilhoso. Desde a faculdade minha cabeça foi encaixando as construções e lapidando muita coisa. Levei uma surra para aprender a fazer direito. Se é que alguém aprende a fazer, né? - ri, em tom de tranquilidade e diz que prefere não pensar no futuro neste momento.

E as mudanças não param por aí

Após passar três anos preparando animais-atores para produtos de TV, cinema e publicidade com sua empresa, RH Soluções Artísticas, Rodrigo Hallvys faz um balanço das alterações que sua vida vem sofrendo.

- Vamos aprendendo a enxergar oportunidades ou até mesmo criá-las na carreira artística. Ainda criança fiquei apaixonado por interpretação. Na adolescência veio algo de direção e roteiro. Do jeito que pude, procurei não abandonar a vida acadêmica porque ela me fascina e me norteia. Acabei por também produzir e hoje tenho que equilibrar isso com a minha própria vida, minha saúde. Afinal, vamos envelhecendo e parece que os sistemas do organismo começam a fingir que estão apresentando falhas, certo? - diverte-se ele, que recentemente concluiu a pós-graduação em arte e produção cultural no Brasil e atualmente também é assistente de direção do Mosaico, canal oficial do YouTube.

E o hiato com o Estudarte não é o único a ser rompido. Depois de seis anos longe dos palcos como ator, ele aceitou convite para uma participação especial em um espetáculo de Fernanda Monzani que estreia em meados de dezembro.

- Um dia após comentarem comigo que eu estava muito tempo afastado como ator apareceu o convite vindo da Fernanda, que é alguém que admiro imensuravelmente, então aceitei.

Quanto à saúde, passou a dar atenção a mesma com mais carinho. De volta aos 59 quilos e novamente com cabelos longos, ele chegou aos 35 anos com a alimentação saudável, mas alterando o ritmo físico.

- Sempre me alimentei de forma correta, então só inseri mais exercícios físicos e meu corpo voltou ao lugar. Não fiquei doente como algumas pessoas chegaram a perguntar, só o efeito da erosão que chega para todos nós. O organismo não é o mesmo dos 20 anos. E descobri a água de berinjela com laranja. Ela joga tudo quanto é toxina e gorduras saturadas embora - ri, esclarecendo que boas noites de sono, serenidade e bom humor também são os aliados que possui para a saúde.

- Assim consigo dar conta de trabalhar com o Estudarte pautado em mais empenho também. Expectativa existe em nós, apenas estamos fazendo o trabalho em silêncio mesmo.

Contatos profissionais de Rodrigo Hallvys: Site oficial e Facebook


Jornal A Voz da Cidade - 19/08/2016 - Coluna Social Matilde Basilio

Foto: Divulgação/Jana Machado



Jornal A Voz da Cidade - 23/08/2016 - Caderno principal (pág. 02)

O retorno
Rodrigo Hallvys revela novidades de sua carreira

Foto: Divulgação/ Jana Machado


Depois de seis anos longe dos palcos como ator, ele aceitou convite
para uma participação especial em um espetáculo


Franciele Aleixo

Tornou-se um hábito o fato do ator e diretor Rodrigo Hallvys só dar o ar da graça quando entra em período de divulgação de algum trabalho em que esteja envolvido. E agora parece que uma chuva de novidades surgiu em sua vida. Uma delas é o retorno do grupo de teatro Estudarte.

Após um hiato de cinco anos, o grupo retornou aos trabalhos silenciosamente em maio. Sem alarde, mas com objetivos definidos, a reunião aconteceu de forma repentina. " Um conhecido me parou na rua e comentou sobre trazer um curso de interpretação meu para Volta Redonda. A ideia dele, a princípio, não era viável, porém acabou gerando o retorno do Estudarte. Entendi que aquilo era um sinal, pois poucas semanas antes alguns ex-integrantes do grupo haviam comentado sobre saudade de nossos trabalhos", explica Rodrigo.
O diretor esclarece as diferenças. "Aqueles que eram meus alunos adolescentes já são adultos.Possuem outra maturidade pessoal e isso influencia nos objetivos profissionais. Então defini a quantidade de envolvidos na oficina e quais eu teria como convocar. Com muitos perdi contato, outros infelizmente não puderam estar conosco. Mas montamos um elenco que está deixando o trabalho em desenvolvimento surpreendente", contou

Um total de três textos diferentes, os quais estiveram presentes dentre os sete festivais já produzidos pelo grupo, estarão em breve nos palcos. "As releituras sairão com um aspecto diferente porque as construções de cada um também assim o estão. A expectativa de todos está à flor da pele porque estamos descobrindo os ritmos de evolução que cada um possui atualmente" - revela o diretor.

Além do oitavo festival do Estudarte, Rodrigo Hallvys também está produzindo o IV Festival de Esquetes Estudantis de Vargens, no Rio de Janeiro. Evento que faz desde 2013 em parceria com o Centro Educacional Nossa Senhora de Fátima. “Em alguns detalhes é algo parecido com o trabalho que o Estudarte desenvolvia, inclusive utilizando textos que o Estudarte já apresentou também. Por outro lado é muito diferente em proposta de espaço cênico, sem contar a idade dos atores, que são bem mais novos” explica.

GRADATIVO


A carreira de Rodrigo Hallvys foi construída com oportunidades e nuances distintas. Iniciou no teatro como ator, depois experimentou direção e se apaixonou pela função. Começou a escrever textos e hoje recebe encomenda dos mesmos. Passou paralelamente a produzir e sempre que possível procura estar ligado à pesquisa acadêmica (recentemente concluiu a Pós-gradução em Arte e Produção Cultural no Brasil). Tudo isso trouxe alterações para o Estudarte e para a própria vida de Rodrigo, que há cinco anos retornou definitivamente para o Rio de Janeiro e inaugurou sua própria produtora, a RH Soluções Artísticas e atualmente também é assistente de direção do Mosaico, Canal oficial do Youtube.

Depois de seis anos longe dos palcos como ator, ele aceitou convite para uma participação especial em um espetáculo de Fernanda Monzani que estreia em meados de dezembro.


Website Olho Vivo - 07/11/2016 - Teatro

Rodrigo Hallvys comemora 18 anos de carreira
Oitava edição do Festival do Grupo de Teatro Estudarte terá apresentação para convidados, na ETPC;
e sessões abertas ao público, no Centro Cultural da Fundação CSN


Foto: Divulgação/ Mayara Miranda


Quatro espetáculos serão encenados pelo Estudarte para marcar aniversário artístico de Hallvys


Cláudio Alcântara

Era o ano de 2003 quando o Grupo de Teatro Estudarte iniciava suas atividades. Um projeto estudantil despretensioso que começou a tomar forma e foi crescendo. No ano seguinte produziu seu primeiro festival no antigo Colégio Volta Redonda, no Aterrado. Foram mais cinco festivais dentro do auditório do estabelecimento escolar e em 2010 a trupe encerrou seu evento no Teatro Jésus Moreira Maciel, anexo ao Colégio João XXIII, no Retiro. Totalizando sete anos encerrando o calendário teatral da região e depois o grupo foi desativado com o retorno de Rodrigo Hallvys, seu diretor geral, ao Rio de Janeiro.

Durante o período ativo, o grupo produziu diversos textos e Rodrigo Hallvys, objetivando a busca pelo próprio crescimento e do grupo, ingressou no curso superior em Teatro. Aumentou o número de elenco, a qualidade técnica, a qualidade textual e o número de patrocinadores.

Agora, seis anos após sua última produção, a trupe está de volta. E em clima de comemoração. Em 2016 Hallvys está completando 18 anos desde seu primeiro experimento como diretor de cena, fato que ele não imaginava que aconteceria e que, de diversas formas, mudaria o rumo de seus pensamentos.

- Digamos que apanhei muito para aprender a dirigir. Se é que aprendi e se é que alguém aprende, né? Olho para trás e vejo que muita coisa mudou. Vamos amadurecendo como pessoas e como profissionais. Ficamos mais serenos em momentos que antes não éramos e mais ariscos em momentos distintos. O que tenho certeza é que valeu a pena. E quando olho para o futuro, vejo que ainda há muita coisa que quero pesquisar. Creio que encontrei os caminhos - alegra-se o diretor.

Diferente de todas as edições anteriores, o VIII Festival de Teatro do Estudarte terá duas etapas distintas. A primeira ocorrerá apenas para convidados, no palco onde Hallvys iniciou o gosto pela direção.

- Eu já era ator e sabia que de artes cênicas queria viver. Então na adolescência, quando estudante da ETPC, tive oportunidade de começar um esboço de direção. Foi um momento que redirecionou a minha própria vida. Dividiu as águas. Tomei paixão por dirigir antes mesmo de entender o que precisava realmente fazer com a construção de cada cena. Olho para a ETPC com essa função em minha vida. Embora estivesse na área técnica, foi um impulso definitivo na arte. Então a ideia foi recebida com um carinho enorme e vamos abrir o festival lá, onde tudo começou - comemora.

A segunda etapa, que será aberta ao público geral, acontecerá no início de fevereiro de 2017, abrindo o calendário do Centro Cultural da Fundação CSN, com três dias consecutivos e mantendo os mesmos espetáculos da primeira etapa.

- Sensação de estar em casa. Estou reencontrando pessoas que fazem parte da minha trajetória e que torceram por mim. Voltando a lugares que há muito deixei e recebendo o mesmo carinho. Concluí os estudos na ETPC há 15 anos, tanta gente já passou por lá durante a história do estabelecimento. E eles lembram de mim, do meu trabalho no meio disso tudo. Daí vem aquela imensa sensação de gratidão - emociona-se.

______________________________________________________

A abertura de cada sessão acontecerá com “O Nubente”, espetáculo de Albinno Oliveira Grecco.
_______________________________________________________

Escrito pelo próprio Grecco com exclusividade para a comemoração de carreira do amigo, o texto fala sobre questionamentos de um rapaz à porta de uma igreja.

Em seguida entra em cena “Barulho”. O texto, que foi apresentado pela primeira vez em 2010, é considerado um dos mais fortes já escritos por Rodrigo e já foi produzido três vezes também no Rio de Janeiro. Agora com novidade: interpretado por mulheres. Tem o teor de traçar uma linha tênue entre humanidade e psiquiatria.

- Participei do Estudarte anos atrás e agora vamos comemorar os 18 anos de direção do Rodrigo. “Barulho” é um presente que recebi e sempre me identifiquei com o grupo nessa originalidade dos gêneros. A direção é séria, fundamentada em argumentos com uma didática versátil e inovadora, por isso a cada encontro aprendemos técnicas novas para a bagagem, que contribuem muito para o que fazemos. Sempre destaco a importância que o Rodrigo dá ao conhecimento teórico. Nunca encontrei isso em outro grupo que eu tenha participado. Está tudo muito gratificante - declara Poliana Batista.

O terceiro espetáculo é “Mulheres Desesperadas”, que ficou em cartaz de 2008 a 2010, tendo sua última apresentação no Teatro Gláucio Gill, em Copacabana (Rio de Janeiro). Com elenco totalmente renovado, a sátira da novela “Mulheres Apaixonadas”, de Manoel Carlos, traz a sempre protagonista Helena precisando ser suporte para as irmãs e seus conflitos, arrancando gargalhadas do público.

Para encerrar o evento, a personagem Catarina volta ao palco com “Apenas Comentando Mais”, segundo ato da trilogia “Apenas Comentando”. Neste, que foi apresentado em 2009 pelo extinto Grupo do Apê (de Barra Mansa), a protagonista vive o dificultoso dilema de hospedar a sogra por um mês, lidar com uma vizinha mais fofoqueira do que ela e se preparar para ter uma conversa sobre vida íntima com o filho mais velho. Além de sempre ter que retrucar a falta de higiene do marido após usar o banheiro.

- Selecionamos três dos textos que mais fizeram sucesso nos nossos festivais. Textos esses que trouxeram muita coisa boa para nós e para mim mesmo - explica Hallvys.

Maíra Pimentel, que assina a produção do evento e também compõe o elenco, fala sobre o amigo e o que o evento representa.

- Maravilhoso! Atuar e produzir um festival que comemora a carreira do Rodrigo, um artista que sempre mostra que com carinho e perseverança conseguimos fazer o que gostamos. Para mim, é exemplo de vitória e sucesso. Cada parte do que estamos produzindo está sendo especial.

E as comemorações não param por aí. Dia 11 de dezembro Rodrigo estará no Rio de Janeiro, com o IV Festival de Esquetes Estudantis de Vargens, produzido junto ao Centro Educacional Nossa Senhora de Fátima e, dois dias depois, estreia como o príncipe de “A Bela Adormecida”, com direção de Fernanda Monzani, ambos no Rio de Janeiro.

_______________________________________________________
Fique de Olho

> Festival do Grupo de Teatro Estudarte - Dia 2 de dezembro, na ETPC (apenas para convidados). Dias 2, 3 e 4 de fevereiro, às 20h, no Centro Cultural da Fundação CSN (aberto ao público).

. O Nubente (espetáculo convidado) - Com Albinno Oliveira Grecco. Duração: 15 minutos. Gênero: drama.
. Barulho - Com Danielle Becker, Maíra Pimentel e Poliana Batista. Duração: 8 minutos. Gênero: drama.
. Mulheres Desesperadas - Com Apoena Carvalho, Filipe Xagas, Isabel Dickson e Ludmila Sousa. Duração: 22 minutos. Gênero: comédia.
. Apenas Comentando Mais - Com Alex Almeida, Janssen Bruno, Pedro Mezzabarba e Ramón Amorim. Duração: 28 minutos. Gênero: comédia.
. Direção geral: Rodrigo Hallvys.
. Assistente de direção, luz e som: Patrick Thouin.
. Produção: Maíra Pimentel.
. Figurino: Eliete Braun.
. Fotografia: Studio Tô na Foto.


Jornal A Voz da Cidade - 29/11/2016 - Variedades (capa)

Dezoito outra vez
VIII Festival de Teatro do Estudarte marca retorno de Rodrigo Hallvys à região

Foto: Divulgação/ Mayara Miranda


Franciele Aleixo

Nesta sexta, 2 de dezembro, terá início a oitava edição do Festival de Teatro Estudarte. O evento ganhará o palco do auditório da Escola Técnica Pandiá Calógeras, localizada no bairro Sessenta, em Volta Redonda. Os espetáculos, que marcam o retorno do Grupo Estudarte após uma pausa de cinco anos, também serão apresentados no próximo ano; abrindo a temporada do Centro Cultural Fundação CSN.

Com o slogan "Dezoito outra vez", o festival faz alusão à comemoração dos 18 anos da atuação de Rodrigo Hallvys como diretor teatral.

De acordo com Hallvys, o nome "Dezoito outra vez" surgiu para marcar um momento único na vida, em especial quando se trata de carreira e oportunidades. "O elenco falou que não dá apra alcançar a "maturidade" sem comemorar. Então me passou um filme na cabeça. O tempo correu e repensei a trajetória de toda a minha vida", explicou, completando que o evento terá duas etapas, sendo a primeira - realizada nesta sexta - para convidados e patrocinadores do grupo. O palco definido é mais que especial, pois marca a entrada de Rodrigo na carreira de diretor.

"Eu tinha nove anos de idade quando decidi que queria ser ator, mas nunca havia pensado em dirigir. Até que na adolescência me tornei estudante da EPTC e lá surgiu a função de diretor e foi um divisor de águas na minha carreira", disse, ressaltando que a carreira artística lhe abrru um leque de oportunidades.

O segundo momento, já no CCFCSN será aberto ao público e composto por três espetáculosde sucessod o Estudarte e "O Nubente", peça escrita pelo ator Albinno Oliveira Grecco com exclusividade para o evento.

De acordo com Albinno, "O Nubente" marca a sua amizade com Rodrigo, que segundo ele, possui um ótimo apuro cênico. "Sempre admirei os trabalhos dele, e sem dúvidas, é um prazer participar desse evento e fazer parte da linda trajetória do Estudarte. Sou imensamente grato e honrado pelo convite" - declarou.

Outra peça que marcará presença no festival é "Barulho". Com texto e direção de Rodrigo Hallvys, o texto dramático fala sobre sociedade e psiquiatria, tornando-se destaque de todos os eventos em que já esteve presente. Foi trazido do Rio de Janeiro novamente para Volta Redonda para constituir o festival. "Quando as atrizes leram, ficaram encantadas. Sempre é assim. Eu sei que estava sufocado quando o escrevi, mas não havia ideia de que tomaria tal proporção. Embora seja de curta duração, ele mexe com quem o produz, interpreta e com quem o assiste. Creio que seja por isso que algumas pessoas o chamam de "pérola dramatúrgica", descreveu.

"Mulheres Desesperadas", sátira da novela Mulheres Apaixonadas, de Manoel Carlos, que ficou em cartaz entre 2008 e 2010 também será apresentada. A comédia encerrou suas temporadas no teatro Gláucio Gill, em Copacabana, Rio de Janeiro, alem de representar Volta Redonda no circuito Novas Cenas, com todas as sessões lotadas.

O texto arranca gargalhadas do público ao mostrar a sempre protagonista Helena precisando ser o eixo condutor da família ao dar suporte emocional para as irmãs, que possuem personalidades de fazer surtar qualquer um em pleno convívio.

Encerrando a programação, a popular personagem Catarina volta à cena em "Apenas Cometando Mais", anteriormente interpretada pelo Grupo do Apê - também já dirigido por Rodrigo Hallvys.

A peça é o segundo ato da trilogia, onde a protagonista precisa hospedar a sogra por um mês em sua casa, lidar com uma vizianha que ama fazer fofoca e se preparar para falar com o filho mais velho sobre a vida íntima do garoto; além, é claro, de lidar com o marido, que não consegue usar o banheiro sem deixa-lo sempre sujo.

De acordo com Rodrigo, são textos que falam de comportamento humano, seja de forma arisca ou de maneira cômica. "O fato é que são coisas que mexem com todos que assistem e interpretam. Isso tudo traz uma satisfação de dever cumprido", concluiu Hallvys, que dia 11 de dezembro estará no IV Festival de Esquetes Estudantis de Vargens (parceria com o Centro Educacional Nossa Senhora de Fátima) e, dois dias depois, estreando como o príncipe de "A Bela Adormecida", também no Rio de Janeiro, com direção de Fernanda Monzani.


FICHA TÉCNICA

Direção geral:
Rodrigo Hallvys
Assistente de direção, luz e som:
Patrick Thouin
Produção:
Maíra Pimentel
Figurino:
Eliete Braun
Fotografia:
Studio Tô na Foto

O NUBENTE
(espetáculo convidado) - Com Albinno Oliveira Grecco. Duração: 15 minutos. Gênero: Drama.

BARULHO
- Com Danielle Becker, Maíra Pimentel e Poliana Batista. Duração: 8 minutos. Gênero: Drama.

MULHERES DESESPERADAS
- Com Apoena Carvalho, Filipe Xagas, Isabel Dickson e Ludmila Sousa. Duração: 22 minutos. Gênero: Comédia.

APENAS COMENTANDO MAIS
- Com Alex Almeida, Demétrio Santos e Ramón Amorim. Duração: 28 minutos. Gênero: Comédia.

SITES

www.rodrigohallvys.com.br
www.rhsolucoesartisticas.com.br
www.geocities.ws/grupoestudarte
www.etpc.com.br
www.fundacaocsn.com.br