2008

Site Jornal A Voz da Cidade - 12/01/2008 - Variedades (pág. 03)


Estudarte comemora saldo
de seu IV Festival de Teatro


Rodrigo Hallvys



Kika Monnteiro


O ano começou, e com ótimas marcas deixadas em 2007. Uma delas foi o 'IV Festival de Teatro do CVR', evento que aconteceu nos dias 1º, 8 e 15 de dezembro, no auditório do Colégio Volta Redonda.
Segundo Rodrigo Hallvys, diretor geral do festival, o trabalho de 2007 foi encerrado com vitória, perante todos os problemas que o grupo Estudarte enfrentou durante o ano. "Nunca passamos por tantos problemas, precisamos cancelar três peças que aconteceriam no meado do ano, e isso foi novidade que assustou", explica, acrescentando com a felicidade que teve em anunciar que 40 empresas aliaram-se ao festival, o que é um recorde de logomarcas em captação de recursos. "Foi um evento que deixou história, principalmente para o Estudarte. Tivemos a participação dos grupos Cena, Expressar-T e Proscênium, dirigidos por três profissionais que eu admiro muito: Lúcio Roriz, Tiago Rezeck e Giglio", orgulha-se.
No total foram 12 espetáculos, nove do Estudarte e os outros com o brilho de cada um dos convidados. O evento cresceu muito. Cresceu na proposta dos textos, no desenvolvimentos de alguns integrantes e até na cantina. Sim, pela primeira vez o Estudarte montou uma cantina com pipoca, refrigerante, bombons; tudo bem ao estilo de fazer o público ter seu momento de lazer.
"Temos nosso público fiel e tivemos a honra de receber várias novas pessoas em nossa platéia também. Estamos aprendendo, crescendo, procurando evoluir. E acreditamos que o nosso objetivo de conscientizar as pessoas esteja sendo alcançado", ressalta Hallvys.
O festival funciona como prova prática do 4º bimestre do Curso de Interpretação que Hallvys tem em parceria com o CVR desde 2004, quando o Estudarte estava fazendo um ano de vida. O grupo foi fundado por Diego Machado (irmão de Hallvys) e Raquel Moraes, e no ano seguinte, começaram a ter aulas com o ator e diretor. Desde 2006, o curso passou a ser o primeiro a ter grade com matérias e provas teóricas bimestrais, o que aumentou a consistência do curso, que já está com as matrículas abertas e promete ainda mais novidades para 2008. Novidades estas que já estão a caminho.
Mais informações na secretaria do Colégio Volta Redonda ou pelos telefones (24) 3347-1060, 3347-1061 e 9829-7121.


Jornal A Voz da Cidade - 07/02/2008 - Caderno Variedades - Teatro

Abertas matrículas para o Curso de Interpretação no CVR

VOLTA REDONDA - Já estão abertas as matrículas para o Curso de Interpretação de Rodrigo Hallvys, no Colégio Volta Redonda (CVR), com mensalidade de R$ 40. Depois de encerrar 2007 com o IV Festival de Teatro do CVR, Rodrigo se ausentará do grupo de teatro Estudarte anunciando a nova direção. As aulas dos cursos terão início n dia 16 e serão ministradas aos sábados. Interessados poderão obter mais informações pelos telefones 3347-1060, 9829-7121 e 9263-4131.

Segundo Rodrigo Hallvys, ele resolveu fazer algumas alterações porque necessita de tempo para se dedicar a outros trabalhos. Ele lembra que a nova fase do Estudarte é necessária e vê muitos pontos positivos em toda essa mudança. “Como o curso que tenho em parceria com o Colégio Volta Redonda tem mostrado bons resultados quanto ao nosso objetivo, continuaremos lecionando-o. Por isso escolhi o Giglio para dirigir o grupo”, explica Hallvys.

O novo diretor do Estudarte abraça a causa acreditando na proposta que Rodrigo Hallvys apresenta em seu curso. “O trabalho realizado pelo Rodrigo no Estudarte é dos mais dignos e honestos da cidade. Ele não está ali enganando ninguém, não é mercenário. O trabalho é de formação psicopedagógica que pode ser o início de uma longa caminhada nas artes cênicas”, diz Giglio. Para ele, trata-se de um trabalho que está possibilitando aos alunos vencer desafios e possibilitando a socialização, como o contato com outros grupos e diretores. “Eu mesmo realizei um workshop para parte dos alunos e alunas nos dias 5 e 6 passados e notei o quanto aqueles meninos e meninas podem render se bem preparados para o profissionalismo, até porque eles têm sido bem preparados como seres humanos e cidadãos”, completa.

O novo diretor do Estudarte diz acreditar que o apoio do CVR é fundamental para desenvolver um bom trabalho. “É o reconhecimento da importância do teatro para formação das pessoas. São raros os espaços que abrem as portas para cursos de teatro, ainda mais com um palco. Isso demonstra o quanto o colégio está antenado com uma formação mais profunda. Isso aponta para a possibilidade de ampliação e aprofundamento do curso, para quem sabe, se tornar um curso técnico profissionalizante, tão necessário na região”, ressalta, lembrando que dirigiu por algum tempo a atriz global Vanessa Giácomo, pouco antes de ir para a Rede Globo.

Hallvys acredita que a mudança amadurecerá o Estudarte no ponto de vista profissional e mostrará ainda que o teatro do CVR tem a mostrar de bom, sem precisar incentivar ilusões na cabeça dos atores. Hallvys destaca ainda que algumas coisas em Volta Redonda precisam melhorar, precisam andar. “Tenho visto coisas preocupantes e isso me faz ter mais saudade do Rio. Trouxe a grade teórica porque vários atores daqui não fazem a mínima idéia da história do teatro. Muitos estão mais preocupados em aparecer do que em aprender. E o Giglio tem falado muito disso também”, finaliza.


Jornal A Voz da Cidade - 14/02/2008 - Caderno Lazer & Cia (Capa)

Um novo caminho para o Estudarte
Grupo de Teatro de Volta Redonda ganha outro diretor;
Rodrigo Hallvys se ausenta e Giglio assume o comando dos trabalhos

Afinidade: Giglio (de boné) substitui
Rodrigo Hallvys no Grupo de Teatro Estudarte

Um novo caminho começa a ser percorrido pelo Estudarte, em Volta Redonda. E os primeiros passos serão dados sábado, quando Carlos Eduardo Giglio assume a direção do grupo de teatro. Em seu sexto ano de trabalho, o Estudarte, como sempre, traz à tona suas mudanças e planos. O que é natural para o diretor geral do grupo, Rodrigo Hallvys, que encerrou 2007 com o “IV Festival de Teatro”. Ele se ausenta do grupo e aposta suas fichas no novo diretor.
- É uma nova fase do projeto e mudanças são necessárias sempre em direção da positividade. Como o curso que tenho (em parceria com um colégio) tem mostrado bons resultados quanto nosso objetivo, continuaremos com ele. E, por isso, escolhi o Giglio, porque em vários pontos temos a mesma visão - explica.
Giglio, por sua vez, traz mais novidades e acredita que o trabalho desenvolvido pelo Estudarte é importante. “O trabalho realizado pelo Rodrigo no Estudarte é dos mais dignos e honestos da cidade. Ele não está à frente do grupo e do curso como um mercenário da arte. Ele não está ali enganando ninguém nem fazendo teatrinho para quem quer ir para o seriado ‘Malhação’, da Globo”, diz.
O trabalho no Estudarte é psicopedagógico, o que, segundo Giglio, pode ser o início de uma longa caminhada nas artes cênicas.
- É um trabalho que está possibilitando aos alunos vencer desafios, está possibilitando a socialização e o contato com outros grupos e diretores. Eu mesmo realizei um “workshop” para parte dos alunos e alunas do Estudarte e notei o quanto aqueles meninos e meninas podem render, se bem preparados para o profissionalismo, até porque eles têm sido bem preparados como seres humanos e cidadãos - destaca.
A coluna “Olho Vivo”, aqui do “Lazer & Cia.”, confirmou a proposta do Estudarte, com o seguinte comentário sobre o festival: “O que ficou mesmo do “IV Festival de Teatro” é a essência de um trabalho feito com o coração. Rodrigo Hallvys, ao contrário de alguns, sabe que seus alunos não estão ali totalmente preparados para enfrentar o palco - nem é essa a intenção do curso. E os alunos, principalmente, deram de si o melhor. Pode ser o início de uma caminhada de sucesso nas artes, ou não. Pode ser apenas um momento prazeroso de vencer desafios, de socialização, de realização de um sonho. E isso é ótimo”.

IDENTIFICAÇÃO - Rodrigo Hallvys diz que se identifica muito com a proposta do colega, por isso o escolheu para substitui-lo. “Sempre agradeço muito ao Giglio, porque ele me critica e elogia. Foi nas mãos dele que comecei a trabalhar profissionalmente, e sempre aprendi muito, porque ele não tem a vaidade metodológica de se achar mais importante ou guardar ‘figurinha’. Ele se preocupa com a formação que os atores da cidade recebem”, argumenta.
Por isso, Hallvys acredita que a mudança amadurecerá o Estudarte no ponto de vista profissional, e ainda mostrará o que o teatro tem a oferecer de bom, sem precisar incentivar ilusões na cabeça dos alunos.
- Tenho visto coisas preocupantes na cidade. É importante que eles aprendam técnica de verdade, e não que fiquem fazendo coisas pensando que é teatro. Em 2007 foram 40 empresas nos apoiando. Isso é um marco, e temos que honrar esses nomes que apóiam a cultura. O trabalho precisa ser sempre bem feito - destaca.
Da melhor forma possível.

O teatro ‘formando’ pessoas

Dois mil e oito começou com o colégio abrindo espaço para Carlos Eduardo Giglio ministrar um “workshop” ao Estudarte e ao Proscênium (grupo que ele também dirige), aumentando a preparação.
- O apoio do colégio é fundamental para desenvolver um trabalho honesto e digno. É o reconhecimento da importância do teatro para formação das pessoas. São raros os espaços que abrem as portas para cursos de teatro, ainda mais com um palco - comenta.
Na visão do diretor, isso demonstra o quanto o colégio está antenado com uma formação mais profunda. “Isso aponta para a possibilidade de ampliação e aprofundamento do curso, para quem sabe se tornar um curso técnico-profissionalizante, tão necessário na região”, explica Giglio, que dirigiu por algum tempo Vanessa Giácomo, pouco antes de a atriz começar a fazer novelas na Rede Globo.

Serviço
• Grupo de Teatro Estudarte - As aulas começam sábado. Informações: (24) 9829-7121 ou (24) 9263-4131.
http://geocities.yahoo.com.br/grupoestudarte