2006

Jornal Diário do Vale - 09/02/2006 - Caderno Lazer & Cia (capa)

Nos palcos da vida
Ator e diretor de Volta Redonda entra em seu quarto ano
de trabalho com o Grupo de Teatro Estudarte, do CVR

Divulgação/Donizete

Teoria e prática:
Rodrigo Hallvys inicia hoje mais uma etapa do ‘Curso de Interpretação’


Cláudio Alcântara

Que tal aprender o básico sobre artes cênicas num curso que já virou sinônimo de sucesso na Cidade do Aço? O ator e diretor Rodrigo Hallvys volta a respirar teatro, a partir de hoje, quando começam as aulas para o alunos do Ensino Fundamental (de 5ª a 8ª série, matriculados no CVR - Colégio Volta Redonda). No sábado, será a vez da turma com idade a partir de 14 anos. E todos têm chances de atuar, não importa a faixa etária.
- As matrículas estão abertas na secretaria do CVR, para ambos os sexos e com idade mínima de 13 anos, para turmas semanais. Alunos de outros colégios também podem fazer o curso - explica, muito satisfeito com os resultados obtidos.
Hallvys entra em seu quarto ano de trabalho com o Grupo de Teatro Estudarte, que retorna com a nova grade do “Curso de Interpretação”. Trata-se de uma parceria que deu certo do ator e diretor com o Colégio Volta Redonda. Depois de um curto período de férias, o grupo inicia os preparativos para cumprir a agenda de 2006, que já está quase toda programada, no CVR e também fora do colégio.
- O ano passado trouxe muita reflexão ao grupo. Voltamos a nos apresentar fora do CVR e nos deparamos com assuntos novos e vários integrantes diferentes. O grupo amadureceu no setor humano com questões pouco faladas - diz Hallvys, que tornou-se diretor profissional com 22 anos.
Segundo o artista, a expectativa dos atores e produtores sobre a nova grade está estimulando a curiosidade em todos: “Resolvi reformular a estrutura e aumentar o nível de consistência e profundidade dos trabalhos. Após o festival de 2005, defini que este seria o novo passo para o crescimento contínuo do grupo, e o CVR está apoiando”.
Foi um ano muito proveitoso. A equipe de produção fez de tudo um pouco, desde a análise de materiais até a confecção de cenários com técnicas e colaboração do artista plástico Wilton de Oliveira. O resultado foi aprovado pelo público. Também foi criado o “Estudarte Intensivo”, para alunos que só têm tempo disponível de estudar aos sábados.

- Foi uma idéia que também deu certo. Estamos com a turma de veteranos e abrindo 20 vagas para iniciantes em dias semanais; dez vagas para os sábados; e o “Estudarte Mirim” (que é o grupo de alunos do Ensino Fundamental do CVR) também receberá novos integrantes - conta, entusiasmado com as possibilidades de interagir cada vez mais com os alunos.

APOIO
- Rodrigo Hallvys faz questão de ressaltar o apoio dado ao teatro pelo Colégio Volta Redonda. Na verdade, o apoio vem de ambas as partes: o professor de teatro e direção. “A direção do colégio acredita e apóia o trabalho desenvolvido com o ‘Estudarte’. Iniciativas potenciais neste gênero geram e estimulam a capacidade, rapidez de raciocínio e a sociabilização efetiva de crianças e adolescentes”, comenta o diretor do CVR, João Carlos Rodrigues.
Uma aposta certa no trabalho de Hallvys. Talvez, o maior diferencial do “Curso de Interpretação” seja a forma como o ator e diretor encara as artes cênicas. Não apenas como arte (e isso já seria uma grande qualidade) mas também como suporte de vida aos alunos.
E isso vale mais do que qualquer coisa.

‘Estudarte Mirim’ terá grade renovada
As novidades não param por aí. O “Estudarte Mirim”, formado por alunos de 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental, também terá grade renovada. Rodrigo Hallvys diz que 2006 será o ano de maior desenvolvimento do grupo. Ele aposta na aliança do CVR (Colégio Volta Redonda) com o Sistema de Ensino Dom Bosco e o UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda).
- Um diretor teatral, professor ou até estabelecimento educacional precisa se importar com o desenvolvimento dos seus atores e alunos, pois, caso contrário, fica sem saber que rumo tomar até alcançar o objetivo. E o “Estudarte” terá novidades muito positivas por causa dessas parcerias. O CVR se preocupa com isso e traz a nova aliança com o UniFOA como continuidade para os alunos que se formaram no colégio - diz.

CARINHO
- O trabalho de Hallvys vem conquistando a atenção e o carinho dos integrantes do “Estudarte”. Uma prova disso é Mariane Madruga, ex-integrante do grupo mirim, que criou a comunidade “Eu amo o Rodrigo Hallvys”, no site de relacionamentos Orkut, que está servindo de base para vários ex-alunos e amigos o reencontrarem. “É muito bom saber que meu trabalho pode contribuir com algo positivo na vida deles”, comenta o artista, que completa 16 anos de carreira em março.

O curso: quem, onde e quando aprender

• Ensino Fundamental
- Para alunos de 5ª a 8ª série, matriculados no CVR.
- Gratuito
- Início: hoje

• Sábados - De 9 horas ao meio-dia
- Para quaisquer alunos.
- Idade mínima: 14 anos
- Valor: R$ 30,00
- Início: sábado

• Segundas e quartas-feiras - De 14h30min às 16h30min
- Para alunos com experiência
- Idade mínima: 13 anos
- Valor: R$ 20,00
- Início: segunda-feira

• Terças e quintas-feiras - De 14h30min às 16h30min
- Para iniciantes
- Idade mínima: 13 anos
- Valor: R$ 20,00
- Início: terça-feira


Jornal Diário do Vale - 25/05/2006 - Lazer & Cia (capa)

Cidinha está de volta
Grupo de Teatro Estudarte estréia 'Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor';
espetáculo será encenado sábado, no CVR

Divulgação


Cláudio Alcântara

Rir ainda é o melhor remédio. Pensando nisso, Cidinha está de volta. O Grupo de Teatro Estudarte estréia a nova fase da personagem, prometendo ainda mais gargalhadas do que na peça do ano passado. O espetáculo "Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor", que precisou ser adiado por causa de um acidente, ocupa o palco do auditório do CVR (Colégio Volta Redonda), sábado, às 19 horas. Entrada franca.
A personagem foi criada em 2004, na comédia "Calma Papai!". Fez tanto sucesso que virou protagonista no ano seguinte. Daí o ator e diretor Rodrigo Hallvys, responsável pelo grupo, escreveu mais sobre a personagem que foi empregada na peça de estréia, faxineira da rodoviária da cidade Volta Quadrada em 2005 e, agora, trabalha para o governo federal.
-A Cidinha cresce financeiramente a cada peça. Mostramos a personagem como um exemplo de pessoa guerreira e bem-humorada. Enquanto ela trabalhava na rodoviária durante o dia, cursava o técnico em Enfermagem. Agora formada, ela exerce seu novo ofício - explica Hallvys, diretor do grupo, que já está pensando na trilogia da história: "Já estou pensando na terceira peça, que terá surpresas inesquecíveis".
Enquanto a terceira peça ainda não vai para o papel, a comédia "Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor" fala sobre índios, saúde, preconceito, desrespeito, medo e até mão-de-obra barata, além, é claro, de mães e filhos. Desta vez, Cidinha vai trabalhar na Floresta Amazônica, em um projeto governamental, fazendo pesquisas sobre a qualidade de vida dos índios. Vai encarar cacique, gente alienada e até Dona Nelma (sua antiga patroa) vai aparecer na história, com a intenção de contratar índios para trabalhar, escravizando-os. Outra novidade é que duas dos 15 filhos de Cidinha (que nunca apareceram em cena) estarão com a personagem nesta peça.

- Ela resolve levá-las porque são as filhas mais difíceis na concepção dela. E o marido fica com os outros 13 em Volta Quadrada, durante este período. Quanto ao racismo e aos índios, nós vamos mostrar o comportamento indigno de alguns seres humanos em não se preocuparem com os sentimentos dos outros. E a conscientização ainda estará tocando em um problema de saúde muito comum: hipertensão - explica o diretor.




Para rir: Com novidades no elenco, peça aborda
assuntos atuais de forma bem-humorada

Assim como nas peças anteriores, haverá bordões e a personagem estará dando apoio para a evolução dos seres humanos em ocasiões muito cômicas. Segundo Hallvys, a peça será maior que as outras e terá muito mais personagens do que o de costume. “Escrevi a peça por partes, pois estamos com um elenco grande. Precisei novamente escrever cada personagem com suas características e seu enredo individual, para só depois poder mesclar as histórias de todos eles”, detalha.
A consistência pedagógica, que é comum no trabalho do Estudarte, estará realçada nesta peça e trará vários assuntos à tona, principalmente o assunto que passa por todos os colégios e famílias: educação.
- Uma vez me chamaram de Manoel Carlos “teen” lá no Rio. Achei engraçado, mas trabalhar com o Estudarte realmente me faz fixar ainda mais o meu lado realista como autor, mesmo mantendo os tons cômicos. E é claro que fiquei feliz com a comparação, pois ele é um grande autor - declara.
A atriz Samantha Novelli continuará interpretando Cidinha. “Encontrei a Cidinha perfeita na Samantha. Ela superou tudo o que imaginávamos com uma tranqüilidade e profissionalismo incríveis. Nem o risco de ser comparada com a outra atriz, que viveu a personagem em ‘Calma Papai!’ deixou-a preocupada. Isso é muito bom para uma atriz”, elogia.

NOVIDADES
- Por uma agenda concorrida, a atriz Alaide Soares precisou deixar o grupo, porém, vários novos atores entram em cena. Ainda retorna Mariane Madruga, integrante de 2004; e seis atores do ano passado, além da participação especial de Vitor Garani e de Waleska Mendhes, vivendo novamente a Dona Nelma. E, depois de um pequeno tempo afastado, Diego Machado reassume a assistência de direção, enquanto Laís Aguiar é a nova gerente de produção.
- Houve choradeira na saída da Alaide, e alguns antigos integrantes demoraram um pouco para se acostumar com a ausência dela, pois é nossa integrante há dois anos. Mas seria difícil para ela se manter conosco e, claro, fica a lembrança do ótimo desempenho dela durante este tempo na história do Estudarte - comenta.
Quanto aos novatos, eles estão se dedicando muito, tendo apoio dos veteranos e já estão sintonizados ao grupo. “Modificamos as funções de alguns e, mesmo com o texto muito maior do que o de costume e os transtornos das últimas semanas, estamos procurando manter as atenções centradas”.


QUEM É QUEM NO ESPETÁCULO

• Texto e direção:
- Rodrigo Hallvys

• Assistente de direção:
- Diego Machado

• Elenco:
- Eduardo Henrique - Jubão Paulo
- Heloisa Nagib - Perpétua
- Jéssica Sereno - Teresa
- Karina Barcellos - Marissol Massariol
- Kiko Marco - Exageraldo
- Lorrayne Machado - Tsunâmia
- Marcos Antonio - Çurukuku-Kaka
- Mariane Madruga - Dilcéia
- Ramona Rodrigues - Rigoleta
- Rocxane Castro - Elizadente
- Samantha Novelli - Cidinha
- Thaís Brasil - Andreza Beleza

• Participação especial:
- Vitor Garani - Balim-Balão
- Waleska Mendhes - Nelma

• Gerente de produção:
- Laís Aguiar e Lília Aguiar

• Cenário:
- Caio Delgado
- Vinícius Moura

• Sonoplastia:
- Pedro de Oliveira
- Thaís Rubim

• Figurino, cabelo e maquiagem:
- Anna Marau
- Laís Aguiar


Jornal A Voz da Cidade - 27/05/2006 - Variedades (capa)


Estudarte volta às atividades
Viva Cidinha 2 - por um mundo melhor estréia hoje no CVR

Divulgação


VOLTA REDONDA

O grupo Estudarte está de volta aos palcos com mais uma etapa de suas apresentações. Formado por 14 atores e dirigido pelo ator e diretor Rodrigo Hallvys, ele retorna às atividades apresentando hoje, a partir das 19 horas, no auditório do Colégio Volta Redonda (CVR), no bairro Aterrado, a peça Viva Cidinha 2 - por um mundo melhor”. A entrada é franca.
Segundo Rodrigo Hallvys, a obra é uma comédia que promete arrancar gargalhadas do público. O diretor adianta que a peça virá com força total, já que teve que ser adiada pelo fato de um dos atores ter sofrido acidente e ser substituído às pressas. Rodrigo explica que Cidinha está tecnicamente bem mais amadurecida. Ele revela que criou a personagem em 2004, em Calma Papai!, a transformou em protagonista no ano passado e agora está dando continuidade com um texto muito maior que os anteriores.

MOMENTOS DE CONSCIENTIZAÇÃO

Hallvys garante que a exemplo dos trabalhos anteriores a peça terá momentos de conscientização, que desta vez ficará por conta de educação, relacionamento pais e filhos e saúde. Isso porque a cada peça Cidinha cresce financeiramente, mostra que trabalha, que é lutadora e melhor, sem deixar de ser boa mãe. “Encontrei o tom certo na Samantha Novelli, que proporcionou o crescimento contínuo da personagem”, comenta Hallvys, lembrando que esse é um de seus textos mais elaborados. “Ele ficou com script enorme, muita marcação mesclada em rodízios do elenco. Sempre crio psicologia comportamental para cada personagem antes de colocá-los na história, mas desta vez comecei a elaborá-los em outubro passado, bem antes do festival de 2005”, relata.
Segundo Hallvys, desta vez Cidinha estará trabalhando para o governo, em um projeto que visa pesquisar e tratar a qualidade de vida dos índios na Amazônia. Dona Nelma, que foi patroa da personagem em Calma Papai!, será interpretada novamente por Waleska Mendhes, com participação especial que também contará com a presença do ator e modelo Vitor Garani. Vários novos atores estarão se juntando aos antigos e, como novidade, duas dos 15 filhos de Cidinha aparecem em cena. “Elas vão com a mãe porque são as que dão mais trabalho. São as duas mais novas e Cidinha sabe que precisa ficar de olho nelas. Os outros 13 ficam com o marido em Volta Quadrada, enquanto ela está no projeto”, narra o diretor.

QUESTÕES DISCUTIDAS

Duas personagens mostrarão situações de uma questão de saúde bastante comentada, a hipertensão arterial. Cidinha ainda terá que encarar cacique e índios em um mal entendido. Além disso, a peça mostrará uma pequena situação de triângulo amoroso. “Isso é engraçado, é uma coisa já batida, mas parece que sempre dá certo. O público fica torcendo para um casal ou outro ficar junto”, comenta Rodrigo.
Cidinha 2 será utilizada assim como a primeira para homenagear as mães que estiverem presentes na platéia. Segundo Rodrigo, a peça é um presente agradável, algo diferente, engraçado e que traz ao público maneiras diferentes de pensar. “É uma aposta que vem trazendo parte do
sucesso constante do grupo Estudarte, que já está em seu quarto ano de trabalho”, conclui Hallvys.

FICHA TÉCNICA
• Texto e direção: Rodrigo Hallvys
• Assistente de direção: Diego Machado
• Elenco: Eduardo Henrique - Jubão Paulo, Heloisa Nagib – Perpétua, Jéssica Sereno – Teresa, Karina Barcellos - Marissol Massariol, Kiko Marco – Exageraldo, Lorrayne Machado – Tsunâmia, Marcos Antonio - Çurukuku-Kaka, Mariane Madruga – Dilcéia, Ramona Rodrigues - Rigoleta
- Rocxane Castro – Elizadente, Samantha Novelli – Cidinha e Thaís Brasil - Andreza Beleza.
• Participação especial: Vitor Garani - Balim-Balão e Waleska Mendhes - Nelma
• Gerente de Produção: Laís Aguiar e Lília Aguiar
• Cenário: Caio Delgado e Vinícius Moura
• Sonoplastia: Pedro de Oliveira e Thaís Rubim
• Figurino, cabelo e maquiagem: Anna Marau e Laís Aguiar

Jornal Diário do Vale - 13/06/2006 - Caderno Lazer & Cia (Olho Vivo - pág. 04)

Teatro como trabalho psicossocial
Grupo Estudarte estréia ‘Viva Cidinha 2 - Por um Mundo Melhor’;
uma faceta diferente do ator e diretor Rodrigo Hallvys


Divulgação


Cláudio Alcântara
claudioalcantara@pop.com.br

O grande barato de escrever sobre arte e cultura na região não é demonstrar que, supostamente, se sabe um bocado sobre o assunto. Ou tentar auto-afirmar sua bagagem cultural. Nada disso. O que vale mesmo é poder conhecer, conviver e, muitas vezes, se tornar amigo da maioria dos artistas. Isso é comum no exercício da minha profissão. Não apenas na música, na literatura e nas artes plásticas, mas, principalmente, no teatro. Conheço praticamente todo mundo e todo mundo me conhece. Assim como conheço o trabalho de quase todos e todos conhecem o meu trabalho. De tanto entrevistar, ver e conviver com talentos como Paulo Rangel, Luciene Martes, Stael de Oliveira, Bernardo Maurício, Washington Kellington e tantos outros, posso perceber a assinatura de cada um deles, mesmo se os nomes dessas feras não estiverem no programa. Foi assim que conheci o trabalho de Rodrigo Hallvys, que estreou recentemente sua mais nova obra, “Viva Cidinha 2 - Por um Mundo Melhor”, no palco do auditório do CVR (Colégio Volta Redonda). Um trabalho psicossocial que merece respeito.
••••••

A primeira vez que escrevi sobre Hallvys ele nem sonhava em ser o cabeça do Grupo de Teatro Estudarte. Foi por telefone, quando ele estava no Rio, participando de “A Grande Família”, na Globo. Provavelmente, nunca tinha ouvido falar no meu nome, mesmo assim me atendeu muito bem, e a entrevista rolou redondinha. O tempo passou, Hallvys retornou a Volta Redonda e outras entrevistas vieram. Muito trabalho, cursos e peças resultavam sempre num encontro profissional. Matérias, matérias, matérias foram sendo escritas, basta dar uma conferida no site do ator - a maioria das matérias tem a minha assinatura.
••••••
Mesmo assim, por um motivo ou outro, nunca tinha a oportunidade de conferir na prática o que ele me contava nas entrevistas sobre seu trabalho. Finalmente, consegui matar minha curiosidade com a estréia da nova fase da personagem Cidinha. É uma comédia. Então a gente ri. Já na abertura, quando Hallvys conversa com o público e fala um pouco sobre a proposta do trabalho. Não dá para avaliar “Viva Cidinha 2 - Por um Mundo Melhor” como teatro profissional. Nem é esta a proposta. O que importa ali são as mensagens e o trabalho desenvolvido com os pupilos. Então, deixo os tropeços de lado, não me importo com a parte técnica, finjo que não percebi os probleminhas no texto e as escorregadelas nas interpretações. Afinal, o conceito ali é muito maior que isso.
••••••
Cidinha, a personagem, foi criada em 2004, na comédia “Calma Papai!”. Fez tanto sucesso que virou protagonista no ano seguinte. Daí o ator e diretor Rodrigo Hallvys escreveu mais sobre a personagem que já foi empregada na peça de estréia, faxineira da rodoviária da cidade Volta Quadrada em 2005 e, agora, trabalha para o governo federal.
••••••
“Viva Cidinha 2 - Por um Mundo Melhor” fala sobre índios, saúde, preconceito, desrespeito, medo e até mão-de-obra barata. Aborda também a relação mães/filhos. Desta vez, Cidinha vai trabalhar na Floresta Amazônica, em um projeto governamental, fazendo pesquisas sobre a qualidade de vida dos índios. Encara cacique, gente alienada e até Dona Nelma (sua antiga patroa) aparece na história, com a intenção de contratar índios para trabalhar, escravizando-os. E fala sobre hipertensão. Mas tudo é pretexto para o trabalho pedagógico desenvolvido com os jovens estudantes.
••••••
A atriz Samantha Novelli interpreta Cidinha e dá conta do recado direitinho. Waleska Mendhes vive novamente a Dona Nelma. No elenco ainda defendem suas personagens com garra: Eduardo Henrique (Jubão Paulo), Heloisa Nagib (Perpétua), Jéssica Sereno (Teresa), Karina Barcellos (Marissol Massariol), Kiko Marco (Exageraldo), Lorrayne Machado (Tsunâmia), Marcos Antonio (Çurukuku-Kaka), Mariane Madruga (Dilcéia), Ramona Rodrigues (Rigoleta), Rocxane Castro (Elizadente) e Thaís Brasil (Andreza Beleza). Vitor Garani (Balim-Balão) faz participação especial.
••••••
Como trabalho psicossocial, a peça está no caminho certo.

Jornal Comunidade - Junho/2006 - Cultura (pág. 03)

Teatro no Aterrado
O grupo de teatro Estudarte, apresentou peça no Colégio Volta Redonda


Divulgação


O auditório estava lotado, elogios por todos os lados, gargalhadas ecoando em muitas emoções; assim foi 'Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor', mais um sucesso do grupo de teatro Estudarte, do Colégio Volta Redonda (CVR), localizado no bairro Aterrado. Cidinha foi criada na peça 'Calma Papai!' em 2004, escrita e dirigida pelo ator e diretor Rodrigo Hallvys, responsável pelo grupo. Hallvys a transformou em protagonista em 2005 e agora entra com a continuidade do espetáculo. - Ela era empregada doméstica em 'Calma Papai!', depois a trsnformei em faxineira da rodoviária da cidade Volta Quadrada. Enquanto ela trabalhava durante o dia, cursava o técnico em Enfermagem a noite, e agora ela está trabalhando em um projeto governamental executando o seu novo ofício - explica Hallvys.
Interpretada novamente pela atriz Samantha Novelli, a personagem tornou-se exemplo de mãe, pois tem quinze filhos e procura educá-los de uma forma perfeita. "Ela é guerreira, sabe reconhecer os próprios erros, dá carinho, atenção e puxa a orelha de forma correta. Sem contar que ajuda todas as pessoas a refletirem melhor sobre suas atitudes" diz o Rodrigo, todo orgulhoso do sucesso dos alunos. A peça voltará a ser apresentada em breve, e até dvd foi feito (e que já está sendo procurado por muitas pessoas). Rodrigo Hallvys diz que imaginava momentos onde o público reagiria com gargalhadas, mas admite que ficou surpreso com a empolgação muito maior que a esperada. "Eu cheguei a ficar assustado, estava um dia frio, mas o auditório ficou com hiper lotação e o público riu quase o tempo todo. Porém considero a atuação do elenco responsável por maior parte do efeito" diz. O Estudarte foi fundado com objetivo psicossocial, e a presença do trabalho de Rodrigo trouxe o lado psicopedagógico em questão, pois o artista montou um curso de interpretação e produção onde várias matérias teóricas são lecionadas. "Eles fazem provas bimestrais, a média anual paa a aprovação é sete. Eles não simplesmente ensaiam, mas também aprendem coisas que eu trouxe de disciplinas teóricas em artes cênicas", explica o ator e diretor.


SOBRE O CURSO DE INTERPRETAÇÃO

O grupo Estudarte é dividido em três grupos, o Estudarte Jovem (que acaba de se apresentar), o Estudarte Intensivo (que tem aulas aos sábados pela manhã), e o Estudarte Mirim (para pessoas com menor faixa etária) e, todos os três são abertos para pessoas de fora do CVR.

ESTUDARTE JOVEM - 2ª e 4ª feiras 14:30 as 16:30 R$ 20,00
ESTUDARTE MIRIM - 6ª feiras 14:30 as 16:30 R$ 20,00
ESTUDARTE INTENSIVO - Sábados 9h as 12h R$ 30,00
Site: http://geocities.yahoo.com.br/grupoestudarte

A trajetória de RODRIGO HALLVYS

Iniciou a carreira com nove anos de idade, na Igreja Nossa Senhora do Loreto, no Aero Clube. Começou a dirigir peças em 1998 com o grupo Inovação. Recebeu o título de melhor ator do ano 2000, no Rio de Janeiro, tornou-se ator profissional, começando em seguida a prestar serviços para a Rede Globo de Televisão, tendo seu último trabalho na TV como Beiçolinha, funcionário do bar do Beiçola em 'A Grande Família'. Em seguida resolveu retornar para Volta Redonda e remodelar seu curso de interpretação. Em 2003, seu irmão, Diego Machado junto com Raquel Moraes, fundaram o Estudarte, e Rodrigo Hallvys dirigu o grupo na turnê da peça 'O Protesto das Lendas', primeiro sucesso do grupo. O artista ainda fundou o grupo Superávit apresentando um festival. Tornou-se diretor profissional ainda com 22 anos e retornou à direção do Estudarte já no início de 2004, onde comanda o trabalho até hoje.

Divulgação
Atualmente com 54 espetáculos no currículo, ele já até experimentou o canto no quarteto musical 'Cristais', um grupo de soul music fundado em homenagem ao ABBA, que também contava com as vozes de Jeane Del Campo, Raphaella Mennelleu e Rochester Halfeld.
O diferencial em seu trabalho tem sido destacado pelos próprios alunos, o que pode ser verificado na comunidade 'Eu amo o Rodrigo Hallvys', elaborada por Mariane Madruga, uma de suas alunas, no site de relacionamentos Orkut, e que tem trazido a oportunidade de vários amigos e ex-alunos o reencontrarem. "Eu ainda não consegui encontrar palavras que expliquem bem a alegria em receber tanto carinho de todo mundo. Eu fico feliz por conseguir agradar e melhor ainda, auxiliá-los, em suas vidas. E considero importante até porque as próprias famílias têm demonstrado satisfação em ver todo o trabalho sendo elaborado e atingindo os objetivos", confessa o ator. Saiba mais no site www.rodrigohallvys.hpg.ig.com.br

Jornal Diário do Vale - 10/08/2006 - Caderno Lazer & Cia (capa)

'Babados' no salão de Beleza
Grupo de Teatro Estudarte Intensivo leva ao palco os 'ti-ti-tis' comuns na vida real;
humor é a tônica do espetáculo

Fotos: Divulgação

Bom humor: As atrizes e o diretor; prontos para a estréia de 'As Mariazinhas'



Cláudio Alcântara

Loucura. Uma peça com personagens estranhas, loucas e afogadas em seus próprios problemas. Em maio, o Grupo de Teatro Estudarte Jovem apresentou ao público "Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor". Agora é a vez do Estudarte Intensivo fazer sua estréia com a comédia "As Mariazinhas". O espetáculo será encenado no sábado, às 19 horas, no auditório do CVR (Colégio Volta Redonda). A entrada é franca. Com elenco composto apenas por mulheres, a peça acontece no fictício salão de beleza Maria Bonita, onde, como na realidade, as clientes expõem suas vidas e, é claro, a dos outros também. No palco, tudo de uma forma divertida e com assuntos variados.


-É a primeira apresentação da maioria das integrantes. Foi complicado montar este texto, por precisar ir devagar na criação com elas e ainda mais proque comecei a escrevê-lo na semana seguinte da estréia de "Viva Cidinha 2". Não consegui descansar até agora. Minha cabeça está esquentando muito ulitmamente - diz, em tom de brincadeira, o autor da peça, Rodrigo Hallvys, diretor geral do Estudarte.
Segundo Hallvys, o espetáculo não é muito "normal": "É uma peça com personagens afogadas em seus próprios problemas, sem perceberem que os outros também precisam de ajuda. Estamos experimentando trabalhar personagens que fogem completamente aos padrões psicológicos".
Camille Pinheiro e Lidiane Silveira são as duas veteranas do elenco formado por seis atrizes. E interpretam personagens bem diferentes do comum.
-A Lidiane é a dona do salão de Beleza. Com direito a unha postiça e tudo mais, ela é uma cópia desperdiçada da Whitney Houston, e está hiper cômica. A Camille vive uma menina que toda vez que está em "período fértil" começa a apresentar sintomas estranhos em seu comportamento. Principalmente porque sua irmã mais velha dá a ela medicamentos sem consulta médica, pondo em risco a saúde da caçula. Acho que estou criando monstros desta vez - diverte-se.
Boa parte da conscientização da peça fica por conta da manicure alcoólatra vivida por Patrícia Rodrigues, que bebe para não pensar nos problemas. "A idéia é mostrar para o público que não adianta fugir dos problemas, pois eles existem para serem superados", comenta o diretor. Paolla Baldissera é a irmã irritante e fofoqueira de Camille Pinheiro; Jéssicka Rocha, uma garota rica que sente não conhecer a felicidade; e Laísy Monnteiro, uma caipira aspirante à cantora, prima das duas irmãs.
-São personagens surreais, mas que sofrem com detalhes comuns, triviais ou corriqueiros. Não é uma peça de grandes pretensões, mas sim uma oportunidade de mostrar formas diferentes e, é claro, esquisitas, de pensar em assuntos que acontecem todos os dias - explica Hallvys.
Outro assunto que será exposto é o fato da comercialização da música. Lidiane Silveira interpreta uma cantora que já fez muito suceso, porém, por interesses da gravadora, caiu no esquecimente e hoje é proprietária do salão de beleza. "Tínhamos que falar disso. É um desabafo nosso. Tem mujita gente que estuda música, que entende de canto, que investe em conhecimente e, infelizmente, perde espaço para pessoas que estão gravando e cantando porcarias por aí", critica.
Talvez este seja o primeiro trabalho de conscientização que o Estudarte faz como forma de incômodo. "As Mariazinhas" promete tocar, de forma sutil, em assuntos que acontecem na cidade, mas serão surpresas para o público.
-Isso é bem comum, pois falamos do dia-a-dia das pessoas. Então quem assistir vai entender bastante dos argumentos. Somos voltarredondenses, certo? Então vamos falar um pouquinho de coisas que vemos aqui na cidade. Porém, de forma cômica, pois a realidade nem sempre tem este teor - fala.
No mais, algumas personagens relatarão seus relacionamentos com a figura paterna, aproveitando a época do Dia dos Pais. "Servindo então como um presente aos pais que forem assistir à peça, mostrando a todos em que o comportamento dos pais influencia na vida dos filhos", observa Rodrigo Hallvys.

FORMAÇÃO - O grupo de teatro Estudarte teve sua primeira formação em 2003, no CVR, porém ainda não havia o curso de interpretação, e sim trabalhos elaborados por alunos valendo notas em matérias curriculares. Em 2004, Hallvys assumiu a direção definitva do grupo, instalando seu curso de interpretação, mantendo o Estudarte Jovem e, em parceria com o CVR, abriu a turma do Estudarte Mirim, com alunos do Ensino Fundamental.
Já em 2005, a procura de pessoas pelo curso fez com que também fosse montado o Estudarte Intensivo, para pessoas que só têm tempo disponível aos sábados. "Foi uma experiência que deu certo, e mostrou um ponto de comportamento um pouco diferente dos outros, até mesmo porque a faixa etária é maior", explica. Atualmente, todas as turmas do Estudarte são abertas para pessoas de fora do CVR.
-Isso traz bastante integração nos componentes. O CVR é um colégio que visa o desenvolvimento da sociedade. Então tem uma expectativa ampla para qualquer um que esteja conosco, independente de quem seja - comenta.


QUEM É QUEM NO ESPETÁCULO

.Texto e direção:
-Rodrigo Hallvys

.Assistente de direção:
-Diego Machado

.Elenco:
-Camille Pinheiro - Maria Carolina
-Jéssicka Rocha - Maria Rosa
-Laísy Monnteiro - Maria Filosina
-Lidiane Silveira - Maria Silvia
-Paolla Baldissera - Maria Antonieta
-Patrícia Rodrigues - Maria do Socorro

.Gerência de produção:
-Laís Aguiar
-Lília Aguiar

.Produção:
-Lydia Saar
-Rodrigo Hallvys

.Sonoplastia:
-Eduardo Henrique


Jornal A Voz da Cidade - 12/08/2006 - Caderno Variedades (capa)

Estudarte e Foco em cartaz
Divulgação


Os grupos teatrais Estudarte e Foco estarão apresentando neste final de semana os espetáculos As Mariazinhas e Cenas do humor cotidiano.
Mariazinhas, do grupo Estudarte, será apresentada hoje, às 19 horas, no auditório do Colégio Volta Redonda (CVR), na Cidade do Aço, com entrada franca, segundo o diretor Rodrigo Hallvys.
Diz ele que quem comparecer ao local vai encontrar algo incomum, quando comparado aos outros trabalhos já realizados. Apesar de também ser psicossocial, os personagens são muito mais enlouquecidos, ou seja, fora do comum. “Porém, vivem coisas como todo mundo”, adianta, ressaltando que farão parte do elenco seis atrizes e apenas duas já têm experiência com público. “Isso me deixou aflito no momento de escrever a peça. Elas são empenhadas. Não tenho trabalho quanto ao desenvolvimento, mas escrevi a peça alguns dias depois da estréia do outro grupo. Não tive tempo para descansar a cabeça. O meu receio era o texto não ficar interessante, apresentável. Contudo, acredito que o público vai entender as mensagens e rir novamente por conta do comportamento desvairado dos personagens”, revela. ressaltando que a peça trata de vários assuntos, como alcoolismo, fofoca e egocentrismo, além de um leve comentário sobre o aumento da passagem de ônibus em Volta Redonda. O texto e a direção é de Rodrigo Hallvys e o assistente de direção é Diego Machado.
No elenco estão Camille Pinheiro, Jéssicka Rocha, Laísy Monnteiro, Lidiane Silveira, Paolla Baldissera e Patrícia Rodrigues
O grupo Foco apresentará o espetáculo Cenas do Humor Cotidiano hoje, às 20h30min, na Unidade do Sesc Barra Mansa. A peça trata de uma colagem de textos que relatam o cotidiano. Cenas do nosso dia-a-dia, com uma pitada de humor, em que o público se identificará com os personagens e as situações hilárias mostradas no palco. Relação conjugal, Dissimulações, Falsidade, Amor, Encontros e Desencontros. Todas as cenas serão narradas por um personagem caracterizado como Clow sofisticado. A adptação e direção é de Marcelo Soares. No elenco estão Camila Fraga, Alexandre Balduino, Rafaella Assis, Anne Gabrielle, Priscilla Alves, Gabriela Valiante, Paula Cipriano, Nathália Lamim, Renata Barcelos , Patrick Thouin e Viviane So.

Jornal Comunidade - Setembro/2006 - Cultura (pág. 11)


Aterrado é Festa!
O grupo de teatro Estudarte Intensivo apresentou a comédia psicossocial
'As Mariazinhas'
no auditório do CVR (Colégio Volta Redonda)


Divulgação


Com um elenco formado apenas por mulheres, o grupo de teatro Estudarte Intensivo apresentou, no dia 12 de agosto, a comédia psicossocial 'As Mariazinhas' no auditório do CVR (Colégio Volta Redonda). Já na abertura, Rodrigo Hallvys, diretor do grupo e autor da peça, emocionou-se ao dizer que essa era a primeira apresentação do Estudarte após a aprovação da Lei Municipal de Incentivo à Cultura na cidade e que, acredita que muita coisa boa acontecerá na cidade do aço após a aprovação. Quanto ao espetáculo, apesar de só duas das atrizes já terem experiência em cena, o elenco conseguiu fazer o público rir e entender as mensagens de conscientização com poucos escorregões e uma maturidade impressionante.

Desta vez a estória aconteceu no imaginário salão de beleza Maria Bonita®, onde, como em qualquer salão, as clientes expõem suas vidas e, principalmente, as vidas dos outros. A peça ainda abordou o aumento da passagem do ônibus em Volta Redonda, alguns acontecimentos em hospitais públicos e assuntos do dia-a-dia de uma forma bem elaborada. O grupo, está com outra peça em andamento, que será apresentada em dezembro, no 'III Festival de Teatro do CVR'.

FICHA TÉCNICA

Texto e Direção:
Rodrigo Hallvys

Assistente de Direção:
Diego Machado

Elenco:
Camille Pinheiro - Maria Carolina
Jéssicka Rocha - Maria Rosa
Laísy Monnteiro - Maria Filosina
Lidiane Silveira - Maria Silvia
Paolla Baldissera - Maria Antonieta
Patrícia Rodrigues - Maria do Socorro



Gerência de Produção:
Laís Aguiar
Lília Aguiar

Produção:
Hianna Nogueira
Rodrigo Hallvys

Sonoplastia:
Eduardo Henrique

Sites:
http://geocities.yahoo.com.br/grupoestudarte
www.rodrigohallvys.hpg.ig.com.br


Jornal Comunidade - Novembro/2006 - Espaço Cultural (pág. 13)


Grupo Estudarte
apresenta III Festival de Teatro do CVR


Em contagem regressiva para o III Festival de Teatro do CVR, as três turmas do Estudarte (Jovem, Mirim e Intensivo) já estão finalizando alguns detalhes do evento, que acontecerá nos dias 2 e 9 de dezembro, no auditório do Colégio Volta Redonda.
Cada dia terá dois espetáculos e pela primeira vez o evento contará até com corpo de jurados, que ficará responsável por parte das notas que os alunos conquistarão no 4º bimestre do I Módulo do Curso de Interpretação do ator e diretor Rodrigo Hallvys, que é o responsável pelo grupo.
Hallvys diz que o curso tem como objetivo trazer conhecimentos práticos e teóricos em artes cênicas, porém trabalhando o auto-desenvolvimento dos atores em seus individuais limites.
-Cada aluno chega até nós com suas pendências e limitações. Eles mesmos costumam já saber vários dos pontos que os afetam, mas infelizmente não sabem como superá-los. Como nosso trabalho é feito de forma psicopedagógica no interior do grupo, eles começam a lapidação de uma forma muito consistente e significativa para eles mesmos e suas famílias - detalha o diretor.

Divulgação


O primeiro dia será aberto com a apresentação da peça 'O Duelo das Deusas', do Estudarte Mirim, que transportará quatro deusas do Olimpo para os dias atuais como apresentadoras de um programa de televisão. Em seguida entra em cena o Estudarte Intensivo com 'O Olho da Múmia', uma estória que fala sobre desrespeito entre religiões, passada no interior de uma fictícia pirâmide onde encontra-se a múmia da Rainha Nefertiti, esposa do Faraó Akhnaton.
Já no segundo e último dia do evento o Estudarte Jovem apresentará 'Mudança de Hálito', uma cômica sátira do filme de Whoopi Goldberg, que trará trechos do filme vivido por um rapaz. E para encerrar, Rodrigo Hallvys e o também ator Vitor Garani apresentarão a comédia-adolescente 'Atrevidos'.
Segundo Rodrigo Hallvys, o nome da última foi dado em homenagem a revista feminina Atrevida. "Primeiro eu tive a idéia da peça, depois de tudo pronto que resolvi dar o nome. Como a peça retrata, nós dois por nós mesmos, como se fôssemos artistas famosos cheios de fãs adolescentes; resolvemos colocar um nome significativo e que tivesse a cara das fãs. Fui procurar saber e a Atrevida foi a mais indicada por várias das meninas que eu conheço" - explica, elogiando o trabalho que a revista traz ao público.
Agora resta conferir o trabalho do grupo no festival, que estará encerrando o quarto ano de trabalho do Estudarte.

Sites: http://geocities.yahoo.com.br/grupoestudarte
www.rodrigohallvys.hpg.ig.com.br
Informações: (24) 9829-7121


Jornal Diário do Vale - 26/11/2006 - Caderno Lazer & Cia (capa)

O Estudarte volta à cena
Grupo encerra o ano com ‘Festival de Teatro do CVR’; quatro
espetáculos em dois dias de evento com entrada franca

Fotos: Divulgação


Cláudio Alcântara

Quatro espetáculos. Dois dias de evento. Ritmo acelerado. É o “Festival de Teatro do CVR”, que acontece nos dois primeiros sábados de dezembro, a partir de 19 horas, no Colégio Volta Redonda, no Aterrado. Entrada franca. A realização é do Grupo Estudarte. Este ano serão encenados “O Duelo das Deusas”, texto do Estudarte Mirim - 2006, sobre o tema sociedade contemporânea; e “O Olho da Múmia”, do Estudarte Intensivo - 2006, que aborda o desrespeito religioso. Finalizando o festival, “Mudança de Hálito”, escrito pelos integrantes do Estudarte Jovem - 2006 e que fala sobre aparências e tabagismo; e “Atrevidos”, texto de Rodrigo Hallvys focando a amizade.
O evento teve casa lotada nas duas primeiras edições. Segundo o diretor geral do Estudarte, Hallvys, o festival foi dividido em duas etapas, por causa do cansaço que causa ao grupo. “Fazíamos sempre seis apresentações consecutivas na mesma noite. O público não via a hora passando. Porém, nós ficávamos exaustos. Com camarim e coxias lotados e trabalhos de montagem que acontecem desde às 8 horas”, explica.
Desta vez serão quatro histórias, duas em cada dia. Iniciando sempre com o Estudarte Mirim. “O Duelo das Deusas” transporta quatro deusas da mitologia grega para os dias de hoje como apresentadoras de tevê. Já “O Olho da Múmia” é uma história passada no interior de uma pirâmide, falando sobre desrespeito entre crenças.
- Sabemos que se as pessoas procurassem conviver umas com as outras, sem se incomodarem com religiões distintas, todos evoluiriam muito. Ninguém precisa concordar com a religião do outro, mas tem o dever de aceitar que cada qual tenha a sua crença - comenta.
O segundo dia será marcado pela apresentação da sátira “Mudança de Hálito”, inspirada nos filmes feitos por Whoopi Goldberg. A peça foi escolhida para substituir “Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor”, que seria reapresentada pelo grupo. “Resolvi cancelar porque parte do elenco começou a aprontar muito, era uma peça que tinha tudo para dar certo, virou até DVD. E como eu já havia comentado desta sátira, colocamos em prática”, explica.
Para encerrar o evento, Hallvys e Vitor Garani entrarão em cena com “Atrevidos”, uma pequena comédia vivida pelos dois atores que, faltando meia hora para receberem um prêmio, ficam presos em um quarto de hotel, por causa de fãs enlouquecidas.
- Fizemos laboratórios baseados em filmes e assistimos a clipes musicais da recordista de vendas da Espanha, Mónica Naranjo, para montarmos um dos cenários. Pesquisamos também trabalhos do Destiny’s Child e do TLC. Porém, a cada ano que passa eu vejo que está mais difícil conseguir fazer o teatro funcionar - adianta Hallvys.
Além de Diego Machado estar assinando novamente a assistência de direção, Laís Aguiar estará como gerente de produção. “A Laís tem feito um bom trabalho como gerente de produção, também conhecido como diretor de produção. Gosto muito de trabalhar com ela. Rende bastante”, elogia.

NOVA FASE - Este festival encerra o quarto ano de trabalho do Estudarte e marca a nova fase do grupo, que em 2006 começou a estudar a nova grade do curso de “Interpretação Livre” de Hallvys. “Eles precisam alcançar 28 pontos para serem aprovados. Fizeram provas e seminários teóricos no decorrer do ano e o evento encerra o quarto bimestre. E neste, seis dos dez pontos são dados pelo corpo de jurados. Que com certeza não vai deixar escapar nenhum deslize”, diz.
- O nosso trabalho apresenta alguns elementos teatrais. Porém, é despretensioso e simples. Usamos essas ferramentas da arte cênica para dar desenvolvimento ao trabalho psicopedagógico que fazemos com os alunos. Até porque o Grupo Estudarte foi fundado com o objetivo de conscientizar. Temos um trabalho bem simples e humilde - ressalta.
Os integrantes do grupo dizem que o ano passou muito rápido. Pela primeira vez tiveram que enfrentar provas teóricas em artes cênicas e, ainda, conciliar o tempo com os ensaios e apresentações. “Tudo só funciona depois que o texto está pronto. Em uma semana escrevemos as quatro peças. Sei que os outros profissionais vão achar os textos simples demais, mas tivemos pouco tempo”, comenta Hallvys.


FICHA TÉCNICA

Direção:
Rodrigo Hallvys

Assistente de direção:
Diego Machado

Gerente de produção:
Laís Aguiar


Sonoplastia:

Eduardo Henrique
Thaís Rubim

Maquiagem:
Laís Aguiar
Hianna Nogueira

Cenário:
Amanda Amaral
Fabiane Garcia
Hianna Nogueira


-- 02/12/2006 --
.O Duelo das Deusas
.Texto: Estudarte Mirim - 2006
.Tema: Sociedade contemporânea
.Elenco: Isadora Ribeiro, Karícia Godoy, Larissa Silva e Rayza Fumian

.O Olho da Múmia
.Texto: Estudarte Intensivo - 2006
.Tema: Desrespeito religioso
.Elenco: Camille Pinheiro, Jéssica Tirello, Jessicka Rocha, Laísy Monnteiro, Paolla Baldissera e Patrícia Rodrigues


-- 09/12/2006 --
.Mudança de Hálito
.Texto: Estudarte Jovem - 2006
.Tema: Aparências e tabagismo.
.Elenco: Eduardo Henrique, Karina Barcellos, Lorrayne Machado,
Marcos Antonio, Mariane Madruga, Ramona Rodrigues, Rocxane Castro e Waleska Mendhes.

.Atrevidos
.Texto: Rodrigo Hallvys
.Tema: Amizade.
.Elenco: Rodrigo Hallvys e Vitor Garani.


Jornal A Voz da Cidade - 30/11/2006 - Caderno Variedades (capa)

Estudarte apresenta seu
III Festival de Teatro
Fotos: Divulgação


Tânia Cruz
Neste sábado e no próximo, o Grupo Estudarte estará promovendo o III Festival de Teatro do Colégio Volta Redonda (CVR).
De acordo com o diretor geral do grupo, Rodrigo Hallvys, é que com a chegada do final do ano a equipe estará concluindo também seu quarto ano de trabalho. Hallvys diz que serão dois sábados de pura diversão e entretenimento. As quatro histórias estarão sendo contadas no palco do auditório do CVR, às 19 horas, duas em cada dia. Entrada franca.
O diretor do grupo explica que o evento será dividido em duas partes pela exaustão que estava causando nos integrantes. Aconteciam seis peças por dia que, apesar de pequenas, eram bastante trabalhosas. "Éramos obrigados a escrever peças quase do tamanho de esquetes para dar tempo de todos se apresentarem. E mesmo assim o evento ficava com mais de duas horas de duração. Eram muito cansativo para todos", explica.
Neste sábado, a primeira apresentação do festival será do grupo Estudarte Mirim, que apresentará a peça O Duelo das Deusas, que traz reflexões sobre a sociedade contemporânea. Logo depois, será a vez do Estudarte Intensivo se apresentar com a peça O Olho da Múmia,. Trata-se de uma comédia que pretende falar sobre desrespeito entre crenças religiosas. No dia 9 será a vez da sétira Mudança de Hálito. Uma comédia refrescante escrita pelo próprio Rodrigo Hallvys junto com o Estudarte Jovem. Inspirada nos filmes com a comediante Whoopi Goldberg.
Para encerrar o evento, Vitor Garani e Rodrigo Hallvys sobem ao palco para fazer o público rir com a pequena peça Atrevidos. Os artistas estarão falando sobre amizade e estresse vivido por eles mesmos, em versão famosos, perante um grupo de fãs enlouquecidas.
Para Rodrigo, o grupo Estudarte semrpe conseguiu alcançar seu objetivo, a conscientização, e melhor, tem sido reconhecido por isso.
Neste ano conseguiu aumentar a sua produtividade falando de muitos assuntos em cada peça, como Viva Cidinha 2 - Por Um Mundo Melhor, As Mariazinhas e Pimenta nos Zóio dos Ôtro é Refresco!


FICHA TÉCNICA

Direção:
Rodrigo Hallvys

Assistente de direção:
Diego Machado

Gerente de produção:
Laís Aguiar



Sonoplastia:

Eduardo Henrique
Thaís Rubim

Maquiagem:
Laís Aguiar
Hianna Nogueira

Cenário:
Amanda Amaral
Fabiane Garcia
Hianna Nogueira

O Duelo das Deusas
DIA 2

.Texto: Estudarte Mirim - 2006
.Tema: Sociedade contemporânea
.Elenco: Isadora Ribeiro, Karícia Godoy, Larissa Silva e Rayza Fumian


O Olho da Múmia
DIA 2
.Texto: Estudarte Intensivo - 2006
.Tema: Desrespeito religioso
.Elenco: Camille Pinheiro, Jéssica Tirello, Jessicka Rocha, Laísy Monnteiro, Paolla Baldissera e Patrícia Rodrigues

Mudança de Hálito
DIA 9

.Texto: Estudarte Jovem - 2006
.Tema: Aparências e tabagismo.
.Elenco: Eduardo Henrique, Karina Barcellos, Lorrayne Machado,
Marcos Antonio, Mariane Madruga, Ramona Rodrigues, Rocxane Castro e Waleska Mendhes.
Atrevidos
DIA 9
.Texto: Rodrigo Hallvys
.Tema: Amizade.
.Elenco: Rodrigo Hallvys e Vitor Garani.


Jornal Aqui - 02 a 08/12/2006 - Lazer & Negócios (pág. 06)

O Colégio Volta Redonda promove até o dia 9, sempre às 19 horas, com entrada franca, o seu III Festival de Teatro, com participação do grupo Estudarte e direção de Rodrigo Hallvys.


Jornal Diário do Vale - 02/12/2006 - Caderno Lazer & Cia (circuito - pág. 02)



Artes Cênicas:
'Festival de Teatro do CVR' começa hoje; peça será encenada dia 9

Circuito - Teatro

Festival de Teatro do CVR -
Direção: Rodrigo Hallvys. Assitente de direção: Diego Machado. Gerente de produção: Laís Aguiar. Sonoplastia: Eduardo Henrique e Thaís Rubim. Cenário: Amanda Amaral, Fabiane Garcia e Hianna Nogueira. "O Duelo das Deusas" - Hoje. Texto: Estudarte Mirim - 2006. Tema: Sociedade contemporânea. Elenco: Isadora Ribeiro, Karícia Godoy, Larissa Silva e Rayza Fumian. "O Olho da Múmia" - Hoje. Texto: Estudarte Intensivo - 2006. Tema: Desrespeito religioso. Elenco: Amanda Amaral, Camille Pinheiro, Jéssica Tirello, Jessicka Rocha, Laísy Monnteiro, Paolla Baldissera e Patrícia Rodrigues. "Mudança de Hálito" - Dia 9. Texto: Estudarte Jovem - 2006. Tema: Aparências e tabagismo. Elenco: Edudardo Henrique, Heloisa Nagib, Lorrayne Machado, Marcos Antonio, Mariane Madruga, Ramona Rodrigues, Rocxane Castro e Waleska Mendhes. "Atrevidos" - Dia 9. Texto: Rodrigo Hallvys. Tema: Amizade. Elenco: Rodrigo Hallvys e Vitor Garani. Informações: (24) 9829-7121. Ou: http://geocities.yahoo.com.br/grupoestudarte